quinta-feira, abril 02, 2009



O Lutador

Randy "The Ram" Robinson (Mickey Rourke) é um bem-sucedido pugilista nos anos 80 que é impedido de lutar depois de sofrer um ataque cardíaco. Assim, ele consegue um emprego em um restaurante, passa a morar com uma stripper e tenta se tornar amigo do filho dela, mas não consegue resistir a vontade de retornar à antiga carreira, mesmo sabendo que isso oferece riscos a sua saúde.

Critica - Preto e Branco

Não há maneira melhor de retornar as criticas aqui no blog do que com a apoteótica volta de Mickey Rourke (Sin City não foi nada perto desse filme) como Randy "The Ram" Robinson. Absolutamente fantástica a história do lutador que coloca todos os estigmas de outras figuras do gênero como meros melodramas. Rourke é pungente do início ao fim. Ao criar o seu durão com coração despedaçado, Rourke comove não só pela autenticidade típica das suas atuações, como pela sua extrema habilidade de se fazer convincente como personagem. Marisa Tomei é outro grande acerto nesse drama. A atuação congruente do casal dá força impressionante ao filme, autenticando um roteiro nem tão perfeito, mas ajustado em suas intenções.
Rourke “carneiro” (como é chamado nos ringues) é um lutador em decadência que vive ganhando seus trocados pelos ringues da vida até que sofre um infarto e se afasta dos ringues por ordem médica. Mas existem outros problemas que afligem a vida do lutador. Solitário em sua vida pessoal, com problemas financeiros, é na companhia de uma stripper (Tomei) que ele tenta ganhar um elo com o mundo real, fora dos ringues. Se não fosse o bastante, além disso, ele carrega a culpa de ter sido um pai ausente e tenta reconquistar a filha (primorosa a cena em que o pai pede perdão pelos equívocos passados).
O grande poder de O Lutador está no fato de que sua história não é temperada com água e açúcar, como num conto de fadas. Mesmo assim, Rourke prova que mesmo quando tudo na vida faz crer que a derrota é inevitável, um grande lutador resiste e mantém sua cabeça erguida até o fim. É impressionante a força que tem em nossas vidas aqueles lugares em que tudo parece dar certo. Rourke - Randy "The Ram" encontrou o seu (os ringues) e o fez divinamente. Nasce um clássico.

5 Comments:

Blogger Piblou said...

Impressionante, decisivo.
Não hà como sair desse filme ileso, filme, que de tão comum o roteiro, se aproxima de nossas realidades de lutas, e melhor de como lutamos(ou desistimos).
Me perdoe o fabuloso Sean Penn, mas Mickey Rouke é o cara!

sexta-feira, abril 03, 2009  
Blogger Fuca (Branco) said...

Piblou, todos nós temos os nossos dilemas. Não há pra ninguém algo que não falte ou até onde esse alguém não tenha faltado. A magica do filme é mostrar isso e, ainda assim, provar que mesmo nem tão perfeitos, podemos ser dignos.

Abraço.

sexta-feira, abril 03, 2009  
Blogger Anderson (preto) said...

É muito gratificante quando vemos o retorno de atores do passado (passado curto, sim) com tanto brilhantismo. Assim como Mickey Rourke, experiências como esta aconteceram com John Travolta, lembrado por Tarantino em Pulp Fiction, Daniel Day-Lewis, recrutado por Scorsese para viver "The Butcher", em Gangues de Nova York. Desde então, estes não pararam de fazer novos filmes. Independente de serem bons, ruins, cults ou não, estão produzindo. E espero que aconteça o mesmo com Mickey Rourke. Estou ansioso para ver o filme, só de ver os comentáios dos Mestres acima, e de ver algumas partes do filme. E é claro, para aplaudir o retorno, já considerado triunfante por muitos, deste "novo" ator do "passado".

sábado, abril 04, 2009  
Anonymous Fabrício said...

A atuação do Rourke quase toca no dedo de Deus! Foi sublime!
Ao terminar a sessão você sai de alma lavada de tão tocante que é o filme! Sem sombra de dúvidas, um dos melhores filmes de 2009 que eu vi!

P.S: Aos oráculos do simpático blogg: não vamos deixar mais que esse período sabático gigantesco influa nas próximas postagens dos futuros filmes!!! =DDD

Abçs!!!!!

domingo, abril 26, 2009  
Blogger Vicky said...

Oi Fuca e Anderson,

Novata p aqui. To adorando esse cantinho de arte. Adoro cinema. Não assisti esse filme ainda, mas vc me convenceu. Vou assistir. Depois digo o q achei, ok?

Beijos aos meninos

sábado, junho 20, 2009  

Enviar um comentário

<< Home